post

Engenheiros do Hawaii – Simples de Coração (1995)

Engenheiros do Hawaii – Simples de Coração (1995)

Olá galera do Blog A História do Disco,  estamos de volta para apresentar à vocês mais um maravilhoso álbum, depois de falar de várias bandas clássicas e de artistas muito conceituados, vamos resenhar sobre um disco um tanto quanto conceitual de uma banda que é caraterizada pelos limites, você a ama ou a odeia, é meus queridos, estamos descrevendo nada mais nada menos que a banda Engenheiros do Hawaii.

Vamos dissertar sobre o disco Simples de Coração, este foi gravado em 1995 e não continha mais a formação original (Gessinger, Licks e Maltz), entretanto um novo guitarrista estava a postos, e era nada menos que o caro Fernando Deluqui, ex integrante do RPM que havia se desfeito da banda após a gravação do péssimo disco Quatro Coiotes.

Você deve estar se perguntando: Poxa mais por quê a galera do blog não vai dissertar sobre um disco com a formação clássica do Engenheiros ao invés da formação do disco de 1995? Bom meus caros, na minha concepção, Simples de Coração foi um marco na carreira do Engenheiros, um divisor de águas, e mostrou todas as influências da banda, coisas que os outros discos escondiam, é um disco que dá para ouvir inteiro sem cansar, não há como não se apaixonar por ele.

Um ponto interessante desse disco é que a cultura do Rio Grande do Sul ainda se encontra muito presente, principalmente na faixa Ilex Paraguarienses. Nela você tem total visão sobre a cultura gaúcha, Gessinger nunca abriu mão disso nos discos do Engenheiros, mas em Simples de Coração chega a ser emblemático.

Quando falamos de Engenheiros do Hawaii pensamos automaticamente nas músicas temas do trio, O Papa é Pop, Pra Ser Sincero ou mesmo Era um Garoto que Como Eu, Amava os Beatles e os Rolling Stones. Mas nem só de hits se faz uma grande banda, o interessante é que o Engenheiros fez com que uma geração se apaixonasse pelo trabalho da banda, coisa que eu tenho em vista que somente a Legião Urbana conseguiu fazer de melhor forma. Ou seja, quem gostava/gosta da banda realmente seguia os passos da mesma e começando a partilhar de gostos da cultura gaúcha, como tomar o tererê por exemplo.

Voltando ao disco Simples de Coração, temos uma faixa muito bacana chamada Castelo dos Destinos Cruzados, essa é interpretada por Carlos Maltz, começa com um dedilhado sereno e do nada vira uma música bem pegada, com backing vocals muito bem encaixados de Humberto Gessinger. A faixa tem um ar medieval muito interessante, e a performance de Fernando Deluqui dá o ar da graça na música.

Tirando Simples de Coração que dá nome ao disco a outra faixa que se tornou hit radiofônico foi A Promessa, inclusive foi a primeira música do Engenheiros do Hawaii que eu Bruno Machado ouvi em minha vida.

Além de sair da formação trio clássica do Engenheiros e de contar com o guitarrista Fernando Deluqui, o disco Simples de Coração ainda contou com pelo menos dois excelentes músicos que fizeram uma grande diferença na qualidade sonora do mesmo: Ricardo Horn e Paolo Casarim. O primeiro gravou no disco bandolim, viola caipira, violão de XII cordas, guitarra e voz. Já o segundo gravou acordeon, gaita, piano e voz.

Ou seja meus queridos leitores, Simples de Coração reunia um time de peso nos instrumentos e nas vozes, contava com toda a tradição do Engenheiros e contava com canções absurdamente conceituais, vai de cultura gaúcha a indagação política. O álbum mostrou para os amantes da banda que ela não era boa apenas com o trio Gessinger, Licks e Malts, a mesma ainda tinha muito gás para produzir bons discos.

É importante citar que a segunda metade década de 90 não foi um mar de rosas para o rock nacional, afinal, o apogeu do estilo foi em 80, (inclusive quando o Engenheiros teve Terra de Gigantes tocada nas rádios, faixa do disco Revolta dos Dândis, gravado em 87) e as bandas tinham que se reinventar para continuar na mídia. Fora isso, um tal ritmo chamado axé estava sendo introduzido no mercado. Mesmo com todos estes fatores o Engenheiros conseguiu produzir um excelente disco sem mesmo ter a formação trio original que consagrou a banda entre o fim de 80 e o começo de 90. Discos como O Papa é Pop (1990) e Várias Variáveis (1991) introduziram a banda gaúcha na década de 90.

A História do Disco apresentou o álbum Simples de Coração de 1995 do Engenheiros do Hawaii, espero que vocês tenham gostado, até a próxima galera!

Faixas do Disco

1 – Hora do Mergulho

2 – A Perigo

3 – Simples de Coração

4 – Lance de Dados

5 – A Promessa

6 – Por Acaso

7 – Illex Paraguarienses

8 – O Castelo dos Destinos Cruzados

9 – Vícios de Linguagem

10 – Algo por Você

11 – Lado a Lado

Ouça o disco Simples de Coração completo!

2 thoughts on “Engenheiros do Hawaii – Simples de Coração (1995)

  1. I was the photographer D’Andre L. Ford. I took the photo in the inside and the group shot with 1995. I didn’t ask for much because I was still a student. My teacher don’t be greedy so I didn’t ask for a lot of money. Only one of them spoke English, I just got instructions that they wanted saturated colors. The photo in the cd booklet it was maybe 3rd or 4th frame. It was taken at Stoney Point Park in Chatsworth Califoria. The group shot with 1995 printed on it was taken at Griffith Observatory. I’m in the process of updating my web site, soon they will back up. http://www.dandrephoto.com

Deixe uma resposta para Luan Almeida Santos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *