Kid Abelha e os Abóboras Selvagens – Seu Espião (1984)

Kid Abelha e os abóboras selvagens – Seu Espião (1984)

Salve galera, que bom ter vocês aqui novamente no blog – na verdade, agora site – A História do Disco, eu sou Bruno Machado e hoje nossa matéria destaca uma das maiores bandas dos anos 80, que tinha uma front maravilhosa  – no sentido literal da palavra, a mulher era (ainda é) linda e cantava demais da conta. Hoje nossa resenha tem como tema o primeiro álbum do Kid Abelha e os Abóboras Selvagens, o Seu Espião de 1984.

Talvez vocês não saibam, mas a banda foi formada por Leoni, George Israel, Torquato Mariano – pra quem não conhece esse cara, vale a pena pesquisa, é um baita guitarrista e posteriormente se tornou produtor e chegou a trabalhar inclusive com o Charlie Brown Jr – e Paula Toller. Torquato logo saiu da banda e deu lugar a Bruno Fortunato. Um fato que de cara já é importante citar é que nessa época Leoni e Paula namoravam.

A banda ganhou destaque por estar inserida no “bolo” que estava se destacando na cena carioca dos anos 80, o Circo Voador era o local onde essa galera ganhava espaço e uma tal de Rádio Fluminense começou a observar todo esse pessoal, assim como Lulu Santos. No começo dos anos 80 Lulu era produtor de repertório das novelas da Globo, na produtora Som Livre, inclusive foi por aí que malandramente ele colocou uma música dele – Melô do Amor –  na novela Plumas e Paetês.re Sendo assim, ele foi até o Kid Abelha e se ofereceu para ajudar o grupo, lapidar as canções e mesmo a banda. Então durante as apresentações no Rio de Janeiro Lulu foi os ajudando e levou para o estúdio para gravarem seu primeiro single, com lado A – Pintura Íntima e labo B – Por que não Eu?. O produtor fez questão de jogar duro com integrantes e os levou diretamente ao pop, a raiz do estilo, que se tornou alias, a identidade da banda.

Mal sabia Lulu, que ainda estava engatinhando na carreira tanto de cantor/instrumentista/compositor e produtor, que não seria ele o responsável pelo primeiro LP completo do Kid Abelha e os Abóboras Selvagens – ah, vale citar que esse nome foi dado de forma espontânea em frente a Rádio Fluminense. Disco completo que eu digo pessoal não é single ou mesmo compacto, que eram lançados na época parar introduzir novos cantores e grupos musicais na “cena”, mas sim o bolachão com 4 ou 6 faixas cada lado, disco inteiro mesmo, ou álbum se preferirem. E foi nesse disco que a banda apareceu para todo o Brasil, principalmente com a faixa Como Eu Quero, que quase não entrou no álbum. Faltava uma faixa pra completar o disco, e Liminha perguntou se eles tinham mais alguma canção pronta, ele apontou até para o lixo cheio de papel amassado, e lá estava ela, onde Paula Toller tinha jogado a letra da música que seria um dos maiores sucessos do grupo. Vale muito citar que Paula fez a música seu então namorado na época, Leoni.

Assim como Lulu, Liminha soube muito bem moldar a banda para a década que se vivia, como todos sabem os anos 80 foram e sempre será marcante, deixa até hoje uma saudade imensa em quem o viveu, e um gosto amargo em quem não – no caso eu. Mas o sucesso do disco não se deve apenas a esse single, mas sim ao álbum num todo, pra você meu caro leitor ter noção, sendo lançado em Junho o disco já tinha mais de 3 sucessos tocando nas rádios. E caso eu não tenha citado ainda, o álbum tem ao todo 10 faixas, o sucesso não bateu a porta do Kid Abelha, ele meteu derrubou a porta sem dó.

Confesso que meu primeiro contato com o Kid Abelha foi no acústico MTV de 2002, um dos melhores da franquia – pelo menos na minha opinião – o formato teve o poder ressuscitar muitas bandas dos anos 80, no fim de 90 e começo dos anos 2000. Inclusive, pensei muito em fazer do acústico, e não desse primeiro álbum, entretanto, pesquisei e entendi a importância desse primeiro disco da banda, como ele impulsionou o grupo e como deu identidade ao mesmo.

Voltando as faixas, Nada Tanto Assim foi feita nos anos 80, mas se você prestar bem atenção na letra vai ver que faz até mais sentido hoje do que naquela época. A primeira faixa, Seu Espião, por dar nome ao disco poderia ser melhor, mas ela é o cartão de visita e já mostra a cara pop do Kid Abelha e os Abóboras Selvagens. Falando em pop e anos 80, teclado é o que não falta na maioria das faixas, e algo que me surpreendeu foi o quanto o baixo foi bem trabalhado, principalmente nas canções que viraram hits, nada extremamente complexo, mas sim marcante, cara de produção do Liminha mesmo. O saxofone de George Israel também se faz ouvir em várias músicas, esse que também dá aquela força nos backing vocals.

Uma outra coisa legal que é muito perceptível é que Paula e Leoni estavam bem apaixonados mesmo, você consegue sentir em várias faixas os flertes de um e outro. Sinal de que eles conseguiram transformar o amor que sentiam na época em belíssimas canções, e ainda por cima conseguiram fazer o sonho de fazer sucesso virar realidade. E pra quem não sabe, Herbert Vianna se tornou amigo da banda posteriormente, e mais la na frente namorou Paula também, e o que houve entre eles foi tão intenso que metade do disco Bora Bora (1988) do Paralamas foi dedicado a fossa de Herbert depois de levar um pé no popô.

Voltando a falar das faixas, Alice (Não Me Escreva Aquela Carta de Amor) é uma balada sensacional, uma faixa devidamente empolgante eu diria. Já Fixação, tem um clima até dark, um tanto quanto sombrio e intrigante, pra mim uma das melhores canções do grupo até hoje. Não sou muito fã de Por Quê Não Eu?, confesso que acho ela muito bonita, mas tanto com a Paula Toller cantando quanto com o Leoni nunca me cativaram, mas não deixa de ser outro grande destaque do álbum.

Finalizando esse grande álbum de estreia temos Pintura Íntima, com certeza você meu querido leitor já se pegou cantando: Fazer amor de madrugada/ Amor com jeito de virada. Aquele sax marcante de George Israel dita o ritmo da música, e o refrão chiclete citado anteriormente faz com que você se sinta até incomodado se não cantar junto. Aliás, se você nasceu no fim dos anos 80 é bem possível que você tenha sido concebido a essa música, fica ai o questionamento que vocês podem fazer à seus pais. Brincadeiras a parte, a música é sensacional, é marcante e gostosa de ouvir até hoje.

Bom galera, eu vou ficando por aqui e espero que vocês tenham gostado da resenha, que tenham se interessado um pouquinho mais pelo Kid Abelha e os Abóboras Selvagens e que não deixem de curtir nosso programa na Planeta Verde Fm todo sábado e domingo as 19h. Até a próxima 😉

Faixas do Disco

1 –  Seu Espião

2 – Nada Tanto Assim

3 – Alice (Não Me Escreva Aquela Carta de Amor)

4 – Hoje Eu Não Vou

5 –  Fixação

6 – Como Eu Quero

7 – Ele Quer Me Conquistar

8 – Por Que Não Eu?

9 – Homem Com Uma Missão

10 – Pintura Íntima

Ouça o álbum Seu Espião na íntegra.

One thought on “Kid Abelha e os Abóboras Selvagens – Seu Espião (1984)

  1. Muito bonita essa resenha sobre essa banda do kid abelha e os abóbora selvagens. Confesso que marcou muito minha vida na juventude quando eu morava em Tucuruí Pará. Era muito bonito quando a banda se apresentava na TV e mais bonito era ver a Paula cantar, ela era muito linda e continua linda com certeza. Até nos dias de hoje as músicas dessa banda faz sucesso e ainda vai continuar por muitas gerações ou por todas as gerações. Deus abençoe todos que fizeram parte dessa banda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *