post

Daniela Mercury – O Canto da Cidade (1992)

Daniela Mercury – O Canto da Cidade (1992)

Salve galera que curte o site AHD, aqui estou eu Bruno Machado para mais uma matéria. Venho pesquisando cada vez mais discos que eu nunca tive contato, principalmente de artistas que já me chamaram atenção mais de uma vez com diversas canções e também com sua força dentro do cenário musical. Como bom carnavalesco que sou me lembrei de que um disco de axé ainda não tinha vindo aqui pro nosso site, ai resolvi falar do estilo por uma das cantoras mais icônicas do mesmo. Bora resenhar sobre o segundo álbum de estúdio de Daniela Mercury.

Eu fiz questão de escolher este disco pois “um tal de Liminha” que produziu, aí eu não resisti e pulei de cabeça no axé e na carreira de Daniela. Inclusive minha mãe passava pelo meu quarto e falava: Uai, se virou “axézeiro” agora!? Eu ri é claro, mas confesso que apesar de ser um cara mais ligado ao rock e ao pop, admiro acima de tudo músicas de qualidade, independente do estilo. E lógico, gosto de carnaval, mesmo porquê toco em um bloco da minha cidade natal, Taquaritinga/SP, interior do estado de São Paulo.

A baiana Daniela Mercury começou sua carreira cedo, e antes de se firmar na carreira solo foi backing vocal de Gilberto Gil e também fez parte da Banda Eva – que ficou famosa posteriormente por ter Ivete Sangalo com vocalista. A partir daí as portas se abriram pra cantora que foi pra carreira solo e já brilhou em seu primeiro álbum com o sucesso da faixa Swing da Cor. A faixa Menino do Pelô também ganhou destaque.

A partir do disco O Canto da Cidade, Daniela obteve mais recursos para fazer um disco melhor que anterior que é praticamente independente. O movimento Axé Bahia vinha ganhando força, atingindo outras regiões do país, Liminha entendeu tudo isso e fez a cantora explodir com a canção Canto da Cidade, que aliás dá nome a este segundo álbum de estúdio da cantora. E nesse álbum sentimos um trabalho mais cuidadoso em relação ao instrumental, linhas de baixo, percussão sempre bem encaixado e teclados dando o ar da graça na maioria das faixas.

A canção Batuque também é um destaque desse álbum, um axezão raiz, percussão alá timbalada ou mesmo olodum, música muito bem swingada, pra você que gosta desse estilo ou mesmo de carnaval, vale muito a pena conferir essa faixa. Outra canção que merece destaque é Bandidos da América, mostrando que o axé também abordar temas como política e questões sociais.

Em uma determinada parte do álbum, o mesmo começa a pender para um lado mais mpb e pop, em Geração Perdida temos até a impressão de que há um flerte de Daniela em relação a voz de Gal Costa, faixa que também abordar questões sociais. Posteriormente vem a faixa Só Pra Te Mostrar, que conta com a participação de Herbert Vianna, guitarrista, cantor e compositor da banda Os Paralamas do Sucesso.

Antes de falar mais sobre o disco é muito válido citar que o movimento Axé Bahia teve muitos representantes, não só Daniela Mercury. Entre eles temos: Luiz Caldas, Ivete Sangalo (desde que era vocalista da Banda Eva), Chiclete com Banana, Carlinhos Brown (não sou fã do cara, mas temos que admitir que ele é um dos maiores compositores da música brasileira, e já fez parceria com outros grandes nomes da MPB como Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Herbert Vianna), Netinho, Araketu, Timbalada e Olodum. O movimento se fortaleceu muito durante os anos 90 e o começo dos anos 2000, e passou a integrar a playlist dos carnavais pelo país todo, não só na Bahia. Só espero que as marchinhas nunca sejam esquecidas, pois foi por elas que o Carnaval ganhou vida!

Bom, voltando ao álbum temos uma pegada olodum na faixa O Mais Belo dos Belos (A Verdade do Ilê/ O Charme da Liberdade, climão de carnaval mesmo, vocalizes deliciosos e Daniela com uma afinação absurda – pra mim uma das melhores cantoras do nosso país. Posteriormente temos Rosa Negra, outra grande canção de Daniela, mais vez Liminha faz o baixo se mostrar presente, assim como teclado e guitarra. Os mesmos adjetivos servem pra faixa Vem Morar Comigo, linda canção com mudanças interessantes de ritmo, e até uma distorção meio rock’and roll no fim da música, vale muito a pena conferir.

Por hoje é isso galera, acredito que consegui passar à vocês o significado do álbum, tanto pro movimento Axé Bahia como pra Daniela Mercury. E tenho o prazer de reiterar que música boa não está somente em um estilo musical, mas sim em todos, o Brasil é um país muito grande e que tem muitas culturas diferentes quando se diz respeito a música. Eu gosto muito de rock e pop, são os ritmos que me fizeram amar a música, mas tenho muito respeito por todos os outros estilos, e acima de tudo amo o carnaval, por isso resolvi trazer essa matéria aqui pro AHD. Espero que todos tenham gostado, valew pessoal e até a próxima.

Faixas do Disco

1 –  O Canto Da Cidade

2 – Batuque

3 – Você Não Entende Nada/ Cotidiano

4 –  Bandidos Da América

5 – Geração Perdida

6 – Só Pra Te Mostrar

7 – O Mais Belo Dos Belos (A Verdade Do Illê/ O Charme da Liberdade

8 – Rosa Negra

9 – Vem Morar Comigo

10 – Exótica Das Artes

11 – Rimas Irmãs

12 – Monumento Vivo

Curta o videoclipe do sucesso O Canto Da Cidade.

Ouça o álbum O Canto da Cidade na íntegra!

One thought on “Daniela Mercury – O Canto da Cidade (1992)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *