post

Pitty – Admirável Chip Novo (2003)

Pitty – Admirável chip novo (2003)

Salve galera ligada no site AHD, eu Bruno Machado estou de volta para mais uma resenha com aquele gostinho gostoso de nostalgia.  E eu continuo na “pegada baiana”, depois de escrever sobre a maravilhosa Daniela Mercury, hoje eu volto as raízes do rock e falo sobre o primeiro álbum de estúdio da cantora Pitty.

Pitty e sua trupe lançaram o disco Admirável Chip Novo em 2003 pela Deckdisc, viram várias faixas do mesmo caírem nas graças do público, produziram vários hits e videoclipes que ganharam notoriedade na MTV Brasil. Em minha cidade a emissora estava disponível para nós do interior paulista por conta de uma gambiarra com “selo br de qualidade”. Mas antes de falar dessa relação maravilhosa, vamos primeiro ao cenário do rock nacional no início dos anos 2000 no Brasil.

Na virada do século as bandas de 80 que tiveram destaque estavam num período bem morno, sem o mesmo animo, o povo brasileiro estava esperando algo novo no segmento. Nessa época surgiram nomes como Detonautas Rock Clube, CPM22, Tihuana e Pitty. Dentre esses nomes é inevitável apontar que a cantora baiana era a melhor representação do rock brasileiro no momento, sentia-se um ar mais agressivo e que trazia esperança aos roqueiros de plantão.

O disco foi o primeiro de estúdio de Pitty, como citado acima, além de cantora ela é multi-instrumentista e compositora. A baiana trouxe consigo um time de músicos muitos bons e que mostraram grande envolvimento com o projeto.  A banda era formada por Peu (guitarra e violões), Joe (baixo) e Duda Machado (bateria). Ao longo da matéria citarei algumas das participações especiais que engrandeceram ainda mais esse primeiro álbum da Pitty.

Bora falar um pouco das faixas do disco, ao todo temos 11 faixas, sendo que 6 chegaram as rádios. Ou seja meus caros leitores, a cantora teve um sucesso estrondoso já no seu primeiro álbum de estúdio, coisa rara para artistas brasileiros, muitas bandas de grande sucesso em nosso país tem primeiros discos horrorosos em relação a músicas em rádio. É claro, que a maioria deles não teve uma parceria bem sucedida com a MTV Brasil no início da carreira, já que a mesma ainda não tinha chegado por aqui. A música que dá nome ao disco, Admirável Chip Novo – dá quase pra confundir com Admirável Gado Novo do saudoso Zé Ramalho, não!? – foi uma das primeiras faixas a ganhar videoclipe e aparecer exaustivamente na MTV, estava sempre presente nas primeiras posições do Disk MTV – oooooh saudade. Temos também videoclipes para as faixas, Teto de Vidro e Máscara, ambas com cunho social forte, admito que uma das coisas que mais me chamaram a atenção na época que tive contato com o trabalho da Pitty foi isso, o fato de abordar assuntos que há tempos o rock não passava perto.

As faixas consideradas “Lado B” são interessantíssimas também, contam com uma distorção pesada de Peu e uma pegada forte de Joe e Duda, Pitty é impecável no álbum todo, mesmo percebendo que a cantora em algumas horas demonstra um pouco de timidez em relação a imposição de sua voz, aliás, essa timidez logo foi embora nos discos posteriores. Agora vamos a outra coisa interessante nesse disco, uma faixa foi tema de novela global, e aí, você lembra de qual foi!?

Não que eu seja o mais noveleiro dos integrantes do AHD, mas eu me lembro bem da novela Da Cor do Pecado (2004), que foi estrelada por Reynaldo Gianecchini, Taís Araújo, Giovana Antonelli, Cauã Reymond, entre outros. A novela das 6 tinha como uma das músicas destaque Temporal, uma balada sensacional que conta com Paulinho Moska no violão e Jaques Morelembaum no Cello – este último só foi um dos responsáveis pela parte orquestrada do Acústico MTV de 1997 do Titãs, só isso meus queridos rs – e que é uma das melhores faixas deste álbum. E já que estou falando de participações especiais, nada melhor do que falar da mais importante delas, a de Liminha na faixa Equalize. Outra faixa maravilhosa do disco que mostra toda a doçura de Pitty, a cantora se mostrou muito foda nas músicas mais pegadas e extremamente meiga nas faixas mais “calminhas”, até hoje é uma das coisas que mais me encanta na cantora. Liminha participa da faixa tocando baixo, o groove que ele dá na música é fora do comum, ele sem dúvida é um dos maiores instrumentistas e também produtores que o Brasil já teve.

Pra fechar a matéria com chave de ouro vou destacar a última faixa do álbum, Semana Que Vem. Acredito que foi uma das primeiras canções da Pitty que eu tive contato, lembro-me de ver várias vezes uma matéria na MTV Brasil sobre os bastidores da gravação do videoclipe, que assim como a música é sensacional. Nada de recursos visuais extraordinários, mas sim um conceito simples e direto. Nada como conceber uma música que transmite a importância do hoje, coisa que hoje em dia está difícil de encontrar na na música brasileira, temos raras exceções. Eu ainda tive a oportunidade de ver um show da Pitty no João Rock em 2015, já com nova formação – Peu cometeu suicídio em 2013 e Joe saiu da banda em 2011 – contando com Martin na guitarra e Guilherme Almeida no baixo, pra mim foi um dos melhores shows do festival, uma pegada absurda, Pitty afinadíssima e os músicos super entrosados.

Bom meus queridos, vou ficando por aqui e espero que vocês tenham gostado. Curtam tanto esse álbum da Pitty como os posteriores que são muito bons também. Valew galera e até a próxima =D

Faixas do Disco

1 –  Teto de Vidro

2 – Admirável Chip Novo

3 – Máscara

4 –  Equalize

5 – O Lobo

6 – Emboscada

7 – Do Mesmo Lado

8 – Temporal

9 – Só de Passagem

10 – I Wanna Be

11 – Semana Que Vem

Curta o videoclipe da faixa Semana Que Vem.

Ouça o álbum Admirável Chip Novo na íntegra!

One thought on “Pitty – Admirável Chip Novo (2003)

Deixe uma resposta para Marcos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *