post

Biquíni Cavadão Ao Vivo (2005)

Biquíni Cavadão Ao Vivo (2005)

Salve salve galera, aqui estou Bruno Machado para mais uma matéria no AHD, e hoje trago à vocês mais um álbum ao vivo. Alias, um dos melhores álbuns ao vivo que eu já ouvi até hoje, de uma banda que assim como Titãs, Os Paralamas do Sucesso e Legião Urbana soube aproveitar e muito a onda rock dos anos 80 no Brasil. Estou falando do Biquíni Cavadão e seu primeiro disco ao vivo que foi gravado em Fortaleza em 2004.

Para que vocês meus caros leitores entendam o significado deste álbum eu vou explicar o que veio antes dele. No ano de 2001 o Biquíni havia gravado um disco somente de covers, o 80, homenageando os companheiros que fizeram tanto sucesso quanto a banda nessa época, destaque para a faixa Múmias, que conta com a participação de Renato Russo e o rapper Suave. O disco foi tão bem recebido pela crítica e pelo público que após anos fazendo turnê a banda resolveu gravar um ao vivo para celebrar. O produtor do álbum 80 e também do Ao Vivo foi Tadeu Patolla, guardem esse nome, falarei mais dele ao longo dessa matéria.

Todos sabem que os anos 2000 não foram um mar de rosas para o rock brasileiro e programas como Fama, Ídolos e Popstars dominavam os circuitos de TV e o pop se mostrava forte no rádio, fora que o axé ainda aparecia bastante na mídia, pelo menos no começo da nova década. As bandas dos anos 80 se enfraqueceram e não produziram discos que animassem tanto seu público quanto os críticos e também a mídia. É aí que entra o Biquíni Cavadão mostrando que o rock brasileiro não estava morto e que ainda tinha muita coisa boa por vir.

O álbum foi extraído de dois shows que o Biquíni Cavadão fez no Ceará Music Festival, no mesmo palco que a banda passaram Titãs, Detonautas, Pitty, Engenheiros do Hawaii, Os Paralamas do Sucesso, Capital Inicial, Cidade Negra, Angra, entre outros. Sendo assim meu caro leitor percebemos que esse festival foi do caralho -me perdoem pelo palavrão hahah – e com certeza inesquecível para quem pode participar dele.

O disco contém os grandes sucessos do Biquíni, contém faixas inéditas e ainda conta com a participação especial de Papa Winnie em Vento Ventania e Patrick Laplan da primeira à última faixa tocando baixo. Laplan, aliás, é figura conhecida na música brasileira, já que é multi-instrumentista, foi baixista do Los Hermanos, e já estava junto com o Biquíni deste o álbum 80. Outra participação marcante é o de Walmer Carvalho – sax, percussão e vocais – pois o mesmo é perfeito musicalmente nas faixas em que se faz presente.

Já que no parágrafo anterior falei bastante dos músicos, nada melhor do que destacar os músicos “titulares”, Bruno Gouveia, vocalista, tem uma afinação maravilhosa, além de ser cara extremamente carismático e que demonstra ser uma pessoa totalmente envolvida com a música, Carlos Coelho é um excelente guitarrista e também produtor, e ainda dá umas canjas no vocal durante o show. Completando o grupo temos Miguel Flores nos teclados – fazendo a cama ou mesmo a introdução em várias canções – e Álvaro Birita, baterista simples e objetivo que dita bem o ritmo do show do início ao fim.  Bora falar de algumas faixas marcantes?

Os grandes clássicos da banda marcaram presença nesse álbum, como: Impossível, Timidez, Vento Ventania, Tédio, Janaína e Zé Ninguém – que tem uma pegada monstruosa no fim do show. Nos covers temos: Chove Chuva, Camila Camila – que muita gente acha que é do próprio Biquíni, mas na verdade é do Nenhum de Nós – , Toda Forma de Poder e Carta aos Missionários. Essa última alias é emblemática, uma das canções mais animadas do show e que faz o público entrar em êxtase total. Vamos agora as inéditas!

Estouraram nas rádios as inéditas Dani, Vou Te Levar Comigo e Quanto Tempo Demora Um Mês, com muito mérito, pois as três são faixas de altíssima qualidade e têm a essência da banda. O álbum ainda conta com a faixa bônus Meu Reino, uma balada muito gostosa de se ouvir, onde mais uma vez a voz de Bruno é marcante. Agora se você meu caro leitor puder curtir o DVD desse show, não deixe de se deliciar com a faixa Cai Água, Cai Barraco que é uma faixa de um dos primeiros álbuns do Biquíni e que eles gravaram na passagem de som, pra quem é musicista fica ai a dica já que o instrumental da faixa é fodástico.

Além de tudo isso que contei acima meus caros leitores, eu ainda tive a oportunidade de ir a um show do Biquíni, claro que foi alguns anos depois do lançamento desse álbum ao vivo, porém, devo ressaltar que a pegada no palco é a mesma, o termo “show” realmente se aplica a apresentação da banda, que aliás durou cerca de 2 horas e a energia que eles transmitem ao público é sensacional. E vale citar também que após esse ao vivo o Biquíni lançou mais um contendo apenas covers e mais dois excelentes álbuns de estúdio, sinal de que a banda não parou no tempo e continuo se reciclando e fazendo música de qualidade.

Para finalizar essa matéria vou falar sobre a produção, lembra que no começo eu havia citado o nome de Tadeu Patolla?  Então, esse cara é um importante produtor da música brasileira, foi produtor do acústico MTV do Charlie Brown Jr – tocou da primeira à última faixa no mesmo – em 2003, produziu o álbum 80 do Biquíni que eu citei aqui, e também trabalhou com outros bons cantores do cenário nacional.

Bom amiguinhos, eu vou ficando por aqui e espero que vocês tenham gostado dessa resenha, grande abraço e até a próxima 😉

Faixas do Disco

1 –  Tédio

2 – Janaína

3 – Dani

4 – Vento Ventania/ Rootsie And Boopsie/ You Are My Sunshin

5 –  Vou Te Levar Comigo

6 – Impossível

7 – Chove Chuva

8 – Quanto Tempo Demora Um Mês

9 – Timidez

10 – Quando Eu Te Encontrar

11 – Múmias

12 – Camila Camila

13 – Carta Aos Missionários

14 – Toda Forma de Poder

15 – Zé Ninguém

16 – Meu Reino

Ouça o álbum completo no site oficial do Biquíni Cavadão.

Confira a faixa Cai Água, Cai Barraco!

One thought on “Biquíni Cavadão Ao Vivo (2005)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *